Tem matemática na veterinária?

Uma grande dúvida que todo pré-vestibulando ou estudante de veterinária tem ao entrar no curso é: vou precisar estudar matemática na veterinária? A verdade é que muita gente diz “Ah, eu fiz biológicas porque eu odeio matemática!“, porém essa galera não sabe que existe matemática sim na vet, e que nem sempre ela é tão simples quanto a gente imagina.

Quer dizer, tudo bem, ela não é um bicho de sete cabeças assim, mas exige do estudante muito mais pensamento lógico do que habilidade com números propriamente dita. Read more

Os desenhos mais DAORA da veterinária!

Todo mundo, uma hora ou outra, tem que desenhar alguma coisa durante a faculdade de veterinária. Seja um osso em anatomia, um sistema nervoso em fisiologia ou uma sutura em técnica cirúrgica. Mas existem algumas pessoas que levam esse assunto MUITO a sério, e resolvi fazer uma coletânea aqui para vocês.

Eu pedi para galera mandar seus desenhos aqui nesse post  no facebook e os mais curtidos virariam uma postagem no blog. Saca só esses desenhos INCRÍVEIS! Read more

Medicina de animais selvagens: entrevista com MV Bruno Petri, Presidente da ABRAVAS

Muitos seguidores me perguntam sobre o mercado de animais selvagens lá no facebook, aqui no blog e lá no canal no youtube. Mas não trabalho com isso e, infelizmente, tenho pouca experiência para passar.

Porém, tive a oportunidade de entrevistar o Presidente da Associação Brasileira de Veterinários de Selvagens, a ABRAVAS, no Congresso MedVep de Especialidades Veterinárias e perguntar várias coisas que vocês sempre têm dúvida. Espero que gostem!

ABRAVAS: http://www.abravas.org.br/
Congresso ABRAVAS: http://congressoabravas.com.br/
Grupos de Estudos de Animais Selvagens: http://geasbrasiloficial.wixsite.com/

Caixa de marimbondos – A espinhosa relação de trabalho do Médico Veterinário

Assim que formado fui trabalhar em uma clínica de pequenos animais e me deparei com a triste realidade brasileira na relação de trabalho do Médico Veterinário, que é receber um percentual (30%) do procedimento pela prestação do serviço realizado.

Não obstante isto, o pagamento invariavelmente era realizado com cheque de terceiros, que por vezes retornava sem fundos, e os atendimentos parcelados pela clínica também postergavam o meu pagamento.

Férias, 13º, FGTS, seguro desemprego, garantias trabalhistas, nada disto, e nenhuma perspectiva de melhorar esta situação. Por vezes fiquei sozinho no empreendimento com os piores horários, sem qualquer atendimento e consequentemente sem qualquer pagamento, apesar de manter a atividade empresarial em funcionamento e com responsabilidades em relação aos animais internados (na época podia), ou seja, mesmo trabalhando não recebia, consegui ficar apenas 03 (três) meses neste cenário que até hoje perdura por todo o Brasil. Read more